domingo, 29 de maio de 2011

Celular, pra quê? Eu não nasci com ele...


Você precisa de celular? Sim, sim - deu pra ouvir aqui a resposta. Ninguém hoje vive sem um deles. O celular é um invento maravilhoso, mas ele pode significar o fim de sua qualidade de vida, caso você não saiba utilizá-lo com moderação. Ele é compromete até mesmo por nossa memória.

Depois que se passou a registrar no arquivo dele os telefones de nossos amigos e familiares, pouca gente lembra de cor os números deles. Antes, decorava-se uma porção com a maior facilidade. Hoje em dia, alguns não sabem nem o número do seu próprio móvil.

E tem aquela história de que ele é ainda um invento com efeitos colaterais. Vira e mexe tem alguém renomado da Ciência dizendo das mazelas que a irradiação pode causar, com efeitos terríveis a ponto de falar-se em doenças cancerígenas.

O celular também nos tirou o sossego. Quem era capaz de interromper um culto religioso por causa do toque de um desses aparelhinhos? Quem já não se perturbou numa conferência, num cinema ou teatro com alguém remexendo a bolsa na busca de controlar o insistente toque, só porque não o colocou no silencioso? Antes, você era capaz de se esconder de 'deus e do mundo'; mas agora lhe acham com a maior facilidade. Como diz a piada do português surpreendido no motel pelo toque do telefone: "mulher, como é você soube que eu estava aqui no motel?

Nenhum comentário: